Blog

Negócios

Home office impacta gestão de documentos das empresas

quarta-feira, 23 de maio de 2018

 

O mundo do trabalho mudou ​— inclusive em termos legais, como já explicamos aqui. Para muitas empresas, já não é essencial que os colaboradores trabalhem no escritório, presencialmente, “batendo cartão”. O que importa é a entrega: resultados satisfatórios e prazos cumpridos.

 

Por isso, trabalhar a partir de casa —  o chamado home office — é uma realidade cada vez mais comum para diversas pessoas e corporações, sobretudo as novatas da tecnologia, conhecidas como startups. Pode integrar a cesta de benefícios como jornada flexível, ou ocorrer em tempo integral, com trabalho remoto de qualquer lugar, até mesmo de outra cidade ou país.

 

Esse novo e crescente regime de trabalho, por outro lado, continua exigindo cuidados do empregador com documentações. É preciso criar um processo de controle de horas extras, por exemplo, tanto para o bem-estar do funcionário quanto para a empresa evitar possíveis dores de cabeça com processos no futuro: e-mails fora do horário de expediente predeterminado podem ser provas de que o tempo de trabalho foi excedente.

 

Uma saída, nesse caso, é a time sheet, ou seja, uma folha de ponto eletrônico. O colaborador a preenche com os horários de início e de encerramento da jornada. Outra boa solução é adotar um sistema com login e senha para dar iniciar e finalizar o expediente. Com tudo devidamente registrado, a documentação está a apenas um clique, quando for necessária.

 

Por fim, vale destacar que o home office não tira do empregador responsabilidades como vale-refeição, vale-transporte (quando há deslocamento do colaborador), recolhimento de Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), entre outras obrigações, caso tais benefícios integrem o acordo com o funcionário. Tudo deve estar sempre em dia. Em contrapartida, mesmo à distância, a empresa pode exigir do funcionário que esteja disponível, on-line, durante o horário normal de expediente.

 


Tags: - - - - -