Blog

Ideias

Gestão da informação e gestão do conhecimento: qual a diferença?

quarta-feira, 26 de julho de 2017

 

O que distingue esses dois termos é uma interpretação sutil e pouco difundida das palavras “informação” e “conhecimento” — mas que pode ter grande impacto na administração de um negócio, seja qual for seu porte.

 

Nesse contexto, a informação se refere a um conjunto de dados contextualizados, como já explicamos aqui no Blog. Elas podem ser provenientes de um contrato, uma tabela, um livro, um plano de engenharia, um orçamento, um relatório: qualquer item ou volume que agregue e apresente referências de modo compreensível.

 

Já o conhecimento provém do uso inteligente das informações. É, portanto, mais pessoal, porque varia de acordo com a mente que está lidando com aqueles dados. Prova disso é o quanto um grupo de pessoas que estuda bastante um mesmo tema tende sempre discordar a respeito de pelo menos um aspecto dele.

 

O background, a educação formal e até mesmo a intuição levam pessoas diferentes a produzirem conhecimentos — e a tomarem decisões — diferentes.

 

Por isso, gerir essas duas questões dentro de uma organização também corresponde a processos distintos.

 

A gestão da informação é responsável por receber, categorizar, armazenar, manter acessíveis e buscar informações fixadas nos mais variados suportes (papel, CD, arquivo “em nuvem”, DVD etc.). Essa atividade requer a capacidade de observar criticamente um item, de modo a agrupá-lo com seus semelhantes ao mesmo tempo em que lhe atribui referências que o destaquem numa pesquisa futura. Você pode, por exemplo, guardar juntos todos os relatórios emitidos por um departamento, mas tem de saber como encontrar o relatório certo na hora certa, por ordem cronológica, e/ou pelo sobrenome da pessoa que assina esse documento, dentre outras variáveis.

 

A gestão do conhecimento, por sua vez, exige um esforço ainda maior em termos de raciocínio e engenhosidade. Pressupõe um uso perspicaz das informações e da própria gestão da informação, realizando buscas em acervos internos e externos para prospectar soluções, novos mercados, inovações (tanto em termos tecnológicos quanto administrativos). É também uma prática que leva uma empresa a gerar mais do que produtos e serviços, ao elaborar ideias, entendimentos, os famosos know-how e savoir-faire. Ou seja, algo intangível e que não pode — ao menos não de uma hora para outra — ser roubado ou copiado pela concorrência.

 

Tanto a gestão da informação quanto a gestão do conhecimento são grandes diferenciais em termos de competitividade, mas apenas a segunda impulsiona diretamente a capacidade de um negócio se reinventar e encontrar saídas inteligentes antes dos demais.

 


Tags: - - -