Blog

Negócios

Indústria 4.0 e gestão da informação: como impulsionar resultados

quarta-feira, 30 de agosto de 2017

 

Pode parecer só um termo novo ou coisa passageira, mas não se engane: a chamada indústria 4.0 é um modelo além da moda, veio para ficar. Ou melhor, para aprimorar os meios produtivos.

 

Trata-se de uma tendência, surgida nesta década, que pressupõe não apenas o uso de computadores no desenvolvimento fabril — algo já observado desde meados do século passado —, mas a informatização total da manufatura. Em outras palavras, robôs e dados constantemente atualizados estão começando a comandar linhas de produção inteiras, quase sempre conectados à internet e controlados, às vezes, remotamente, inclusive por celular.

 

A plena utilização da “internet das coisas” e da inteligência artificial promete tornar os processos industriais quase inteiramente autônomos. Porém, foquemos no “quase”.

 

Porque, para alcançar maior produtividade, gerar informações na ponta para tomada de decisão (por máquinas ou pessoas) e elevar o nível de qualificação de profissionais, ainda é necessária uma equipe preparada e altamente especializada, capaz de entender essas novas linguagens, inserir dados nos sistemas e monitorar o fluxo de informação da empresa.

 

Aí entra a gestão da informação.

 

Uma reportagem da Abril Branded Content reproduzida no site da revista Exame enumerou as competências esperadas de quem for trabalhar com a indústria 4.0. As aptidões incluem multidisciplinaridade; saber lidar com computadores e robôs inteligentes, ou seja, compreender o que está sendo feito em detalhes em vez de apenas apertar botões; estar alerta em diferentes períodos do dia e da noite, frequentemente verificando resultados à distância, por meio de celular ou tablet, por exemplo; e disposição para cooperar.

 

São exatamente esses os diferenciais oferecidos por um grupo de profissionais da informação, um conjunto de pessoas apto a gerir dados nas mais variadas plataformas em uma organização com base em esquemas lógicos e amigáveis para os demais colaboradores e parceiros.

 

Você já imaginou se sua empresa pode aprimorar resultados focando nessa nova realidade, e se ela dispõe de pessoal capacitado para impulsionar essa mudança?